Transporte e dispensa de medicamentos ao domicílio através de drones autónomos é o vencedor da 5.ª edição.

Website

 

Foi com «um misto de honra e uma enorme responsabilidade» que o farmacêutico Hugo Ângelo, proprietário da Farmácia da Lajeosa, na Lajeosa do Dão, recebeu o Prémio João Cordeiro 2018, na categoria “Reconhecimento de Farmácia”.

 

Com o transporte de medicamentos através de drone, o vencedor pretende dar resposta às necessidades das populações mais isoladas, colmatando as dificuldades de acesso ao medicamento. O farmacêutico destaca a importância do aconselhamento por videochamada, que considera ser o aspecto basilar do projecto. Independentemente dos avanços tecnológicos, «a relação de confiança das farmácias com o utente vai continuar no futuro», acredita Hugo Ângelo.

 

O “Teste Rápido para deteção de Streptococcus pyogenes por exsudado faríngeo”, da Farmácia Coelho, em Braga, mereceu uma menção honrosa. O presidente do júri, Diogo de Lucena, descreveu o projecto como tendo «um grande impacto na saúde pública», e ​que poderá vir ser replicado noutras farmácias.

 

Na categoria de “Comunicação Social”, o júri atribuiu também uma menção honrosa à peça “DOP Açúcar”, de Anabela Saint-Maurice, pela qualidade e interesse do tema no âmbito da saúde.

 

A cerimónia de entrega de prémios decorreu durante a Sessão de Encerramento do 13.º Congresso das Farmácias. O presidente da Federação Internacional Farmacêutica (FIP), Dominique Jordan, classificou os projectos finalistas como «inspiradores», sublinhando o papel pioneiro que o sector farmacêutico português ocupa na Europa. «Atrevam-se a seguir em frente, atrevam-se a inovar», rematou.